Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

RUMO AO SUL

RUMO AO SUL

Alentejo, debruado a Arraiolos

11084093_422533374585728_1724023513332255148_o.jpg

 
Na dourada planície alentejana
Onde o sol penetra e em tudo teima
A falta de água mísera e insana
Quebra a vontade abate e queima

Nessa imensa e dourada pradaria
O vento de suão seca a cortiça
Leva consigo, numa lenta agonia,
O suor, a que chamam de preguiça.

Mas o Alentejo é belo e majestoso
Quem o ama chama-lhe de formoso
Quem parte volta, nunca diz adeus

Por isso há sempre vozes em coro
Canto alentejano em vez de choro
A alma alentejana tem força de Deus

Rogério Martins Simões

Fotografia - Alentejo por João P. Santos

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.