Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

RUMO AO SUL

RUMO AO SUL

Canção a Évora (Miguel Torga)

10866116_413076448864754_481025906061801907_o.jpg

 


Évora que não és minha
E que eu gostava de ter:
Moira cativa e rainha
Que não pude converter!

Não tenho nas minhas veias
Nem templo de Diana,
Nem a praça do Geraldo,
Nem a brancura redonda
Da água das tuas fontes...

Tenho montes,
Vinho maduro e granito,
E esta certeza de ser
Filho de Cristo Judas.

Ah! Se eu pudesse mudar,
Já que tu, moira, não mudas!...

Eugénio de Andrade, em "Alentejo não tem sombra" (Antologia de Poesia Moderna sobre o Alentejo, Edições ASA)

Fotografia de Évora por Isaura Almeida

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.