Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

RUMO AO SUL

RUMO AO SUL

Há um tempo ...

11879261_468277340011331_5631930734313039658_o.jpg

 

Há um tempo que o próprio tempo apaga
e, nele, toda, toda a memória se esvai
o fogo da paixão não arde, só afaga
como o planar da folha seca que cai.

No corpo, os sinos não tocam a rebate,
o imperioso deixou de ser urgente
e no peito, agora, já o coração bate
ao leve e lento ritmo de antigamente.

Do tempo passado apenas guardo
lembranças que o sonho me consente,
a paixão é chama onde já não ardo
e o futuro é este rumor do presente.


Miguel Afonso Andersen, em "Circum-Navegações" (Raiz perturbada ou a navegação do amor)
(Ferragudo\Portimão)

Fotografia - Euridice Cristo
(Olhão

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.