Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

RUMO AO SUL

RUMO AO SUL

Horas


Meu coração fartou-se, e não consigo
Livrá-lo do afã em que se cansa,
De procurar o sol duma lembrança
Que, alegremente, venha ter comigo.

12362975_497159143789817_5485063899759903448_o.jpg

 
Ah! Não estoires, coração, descansa...
Das negras horas que nos são castigo
Sofre o amargor. Mas guarda bem contigo
Sempre um ridente alvorecer de esperança...

.
Em qualquer vida o bem, bem pouco dura?
Mal que nos ri de perto uma ventura,
Logo o destino, impiedoso, a trunca?

.
Que importa, coração, se ainda temos
Estas horas de sonho que vivemos
À espera de outras que não chegam nunca?...

.
João Braz, em "Esta Riqueza Que o Senhor Me Deu..."
(S. Brás de Alportel-13 de março de 1912 \ Portimão - 22 de junho de 1993)

Fotografia do poeta João Braz editada pela página RUMO AO SUL

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.