Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

RUMO AO SUL

RUMO AO SUL

Lenda da Praia da Rocha

11779960_459126960926369_1549264157582114548_o.jpg

 


Esta é a lenda oficial da Praia da Rocha e já tem milhares de anos.
Reza a história que, há muitos, muitos anos (mas muitos mesmo!!!!), pela costa algarvia estava a passar uma bela duma sereia e, cansada como estava, resolveu descansar nas rochas que ali repousavam.
Adormeceu. Ao raiar do sol, esboça um leve sorriso. Os seus olhos vão lentamente abrindo ao som do bater das ondas nos rochedos e começa a vislumbrar uma sombra à sua frente. Assusta-se! Com a aflição os seus olhos abrem melhor e repara que é um velho muito velho, com compridas barbas brancas, umas vestes largas e também compridas brancas. Era Deus!!! Não! Era, como ele disse à bela sereia, o Pescador, filho do Mar. Então o Pescador disse à sereia que não queria que ela se fosse embora, que ficasse com ele, para que casassem, porque ela era, sem margem para dúvida, o ser mais lindo que ele já tinha visto.
O Pescador continuou a cortejar a bela sereia. Ela, muito atenta, já se notava inclinada a aceitar o convite do barbas brancas. Não o fez logo, também já não o fez a seguir. Do alto das rochas apareceu outro velho, este de longas barbas castanhas, vestes largas e também longas, e também castanhas como as barbas. Chamava-se Serrano, e era filho da serra! Também ele queria casar com a sereia e prometeu-lhe as árvores e flores, os montes e vales, as sombras, o cheiro a terra molhada, enfim... Mundos e fundos!
Por sua vez, o Pescador, roubou o direito de antena do Serrano e prometeu à belíssima sereia as ondas, os corais, a beleza dos peixes, o reflexo do sol na agua dos oceanos...
A seguir, a vez do serrano. Depois, a vez do Pescador novamente. E assim foi por meses a fio, sem que a sereia decidisse. E durou tanto tempo, mas tanto tempo, mas mesmo tanto tempo que a sereia transformou-se na bela areia da Praia da Rocha e os dois velhos casaram um com o outro.

em “Tertúlia Cor de Burro a fugir”
(através de Raul Alvito)

Fotografia - Manuel Da Costa - Prainha (Alvor\Portimão)