Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

RUMO AO SUL

RUMO AO SUL

Noite de sonhos voada

12219325_487571571415241_360416068290326971_n.jpg

 

Noite de sonhos voada
cingida por músculos de aço,
profunda distância rouca
da palavra estrangulada
pela boca armodaçada
noutra boca,
ondas do ondear revolto
das ondas do corpo dela
tão dominado e tão solto
tão vencedor, tão vencido
e tão rebelde ao breve espaço
consentido
nesta angústia renovada
de encerrar
fechar
esmagar
o reluzir de uma estrela
num abraço
e a ternura deslumbrada
a doce, funda alegria
noite de sonhos voada
que pelos seus olhos sorria
ao romper de madrugada:
— Ó meu amor, já é dia!...

Manuel da Fonseca, em "Poemas Dispersos"
(Santiago do Cacém, 12 de outubro de 1911 — Lisboa, 11 de março de 1993)

Fotografia - Filipe Santos

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.