Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

RUMO AO SUL

RUMO AO SUL

O poema eras tu!

12339620_497665997072465_1654459610330311340_o.jpg

 

Tinha o odor terroso do estio africano,
o rumor matinal do dia a levantar voo
e trazia um rio de luz
a transbordar as margens do sorriso.

Era assim, deslumbrante, o poema.
Sussurrante, tocou-me no ombro:

Venho assim sem rima
em verso branco, quase nu.

Parei. Olhei. Com assombro
e espanto vi. O poema eras tu!

.
Miguel Afonso Andersen, no livro "Circum-Navegações"

Fotografia - Lagoa (Algarve), por Jorge Manso

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.