Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

RUMO AO SUL

RUMO AO SUL

Viagem

12195866_485268804978851_3948033847108713663_n.jpg

 

Viajo na memória dos dias em que o tempo era tanto,
e os dias eram feitos de alegrias, sussurros , gargalhadas…
O sol enfeitava o meu cabelo só de encanto,
os olhos, dois faróis iluminavam noites encantadas.
A vida indicava-me o caminho que me chamava , risonho!
E era larga a estrada prometida de venturas,
Semeada de pão e primavera…
E subia montes e pinhais, vestidos de verde sonho,
Que me pareciam quadros e esculturas,
o verde dos quadros de Rivera…
Viajo nesse tempo não esquecido
do sem medo, sem dor de amor perdido
e do nada do que fazemos ser proibido.
Viajo no tempo do rubor e da esperança
do beijo que foi roubado entre uma dança,
da mão procurando a outra no escondido,
de um olhar pousado no decote do vestido…
Viajo ao sabor de um mar revolto de saudade,
mas sem tristeza,
num mar que me renova cada dia,
enganando a natureza,
num corpo agradecido e sem idade.
E viajo, sempre ao som da mesma melodia
que ouvia quando o tempo era tanto
e a vida uma eternidade!


Alcina Viegas
(Tavira)